Conheci o Padrinho Gideon dos Lakotas em 2009, quando comecei a frequentar o Céu Nossa Senhora da Conceição – Obra de Luz.

Nessa época passava por um momento muito difícil em minha vida.

Antes de conhecer a Obra passei por muitas experiências onde não compreendia nada, passei por dificuldades e muitas situações difíceis, por exemplo, eu não tinha nem onde morar, trabalhava em um quiosque onde morava no sótão com minha esposa e meu filho de dois anos de idade. Precisávamos usar um banheiro público até para tomar banho, onde nos banhávamos de caneca no final de um longo dia de trabalho.

Estávamos vivendo com muita dificuldade sem enxergar uma saída. Não tínhamos ajuda de parentes, nunca herdamos nada de ninguém.

E foi nessa situação que conheci a Obra e o Padrinho Gideon dos Lakotas.

Na minha primeira vivência, foi um ritual com ayahuasca, posso dizer que foi como um passe de mágica. Através do trabalho consegui ver e encontrar a solução para os meus problemas, e com a minha mudança interna, vi minha vida se transformando para melhor instantaneamente.

O contato direto com o Mestre Jesus, poder comungar com as energias Ascensionadas durante os rituais aqui no Céu Nossa Senhora da Conceição, e presenciar como o Padrinho manifesta essa consciência/energia nos ensinando que como ele todos nós podemos.

Eu que vivia sem esperança de conseguir mudar minha realidade, vi tudo acontecer muito rápido.

Hoje sou Grato por ter fundado e construído uma das mais forte empresa de turismo atuante no Boqueirão Sul da Ilha Comprida.

Tudo que tenho hoje, conquistei lutando firme e forte seguindo os ensinamentos do nosso Padrinho Gideon.

Posso afirmar que minha vida foi uma antes de ouvir e ler os ensinamentos do Padrinho Gideon e hoje é outra muito mais próspera e feliz.

Mas, para mim, o maior legado deixado pelo Padrinho Gideon foi de nos doar de coração!

Sou grato pela oportunidade de poder auxiliar nesta Obra de Luz e que possamos cada dia mais levar o Amor e Felicidade a todos os buscadores espiritual,  pois vendo a felicidade em outros irmãos é que realmente seremos felizes.

Vivenciei e presenciei acontecimentos que jamais imaginava ser possível:

– Acompanhei o Viver de Luz feito pelo nosso Xamã, Padrinho e irmão mais velho Gideon dos Lakotas, e sou testemunha de que de fato o Padrinho viveu vários dias sem se alimentar, e confesso que no início fiquei preocupado, mas logo ali na frente, eu vi tudo acontecer naturalmente como ele disse que seria.

Ele ficou com um brilho muito especial, todos que se aproximavam dele não tinha como não perceber.

– Várias vezes cheguei na fazenda de baixo de chuva forte e ele falava assim:

Hoje as estrelas estarão lindas.

Quando, daqui um pouco, olhávamos e o céu estava mudando totalmente, a chuva cessava e o céu abria, com um luar cheio de estrelas lindas a brilhar.

– Nas palestras, antes dos rituais e sessões mediúnicas, o padrinho ficava respondendo os pensamentos de todos, muitos questionamentos e dúvidas eram respondidas tão logo havia pensado neles.

– Vi, por diversas vezes, outros irmãos e irmãs comentarem, pois estavam perplexos com este grau de mediunidade.

– Vivenciei o contato íntimo com o Mestre Jesus e as Energias Ascensionadas, e vi milhares de irmãos chegarem totalmente derrotados na vida se reestruturarem rápido, e hoje são vencedores e senhores da sua própria realidade.

Seguindo os ensinamentos deste irmão mais velho, passaram de vítimas da situação para filhos de DEUS criadores da sua própria realidade, passaram a serem realmente felizes, prósperos e abundantes.

AGRADECIMENTO:

Assim aqui expresso toda minha gratidão ao padrinho Gideon sempre honrando esse legado que se faz brilhar intensamente até os dias de hoje e que tenho certeza que ecoarão por toda a eternidade.  Sou grato hoje, e sempre serei grato ao Padrinho Gideon dos Lakotas, que nos tirou da cegueira onde vivíamos, sem poder perceber que o único caminho é do Amor.

Levar o Amor do Mestre Jesus a todos os corações para assim de fato sermos todos felizes, pois passei a compreender e ter a consciência de que SOMENTE HÁ FELICIDADE NO COLETIVO pois  SOMOS TODOS UM!

Abraços, Jean Oliveira