Agradecimento ao padrinho Gideon

Ao longo de minha jornada e experiência de viva, antes de conhecer esta Obra de luz, sentia grande tristeza em meu coração, um vazio que não podia ser preenchido por nada, sentia que no fundo tinha algo a mais, algo que realmente traria sentido a minha vida, mas por mais que eu procurasse não encontrava.

Fui seguindo essa jornada, buscando em templos, igrejas, coisas e pessoas, mais em nenhum momento, nem de longe consegui sentir algo que pudesse preencher este vazio enorme que sentia.

Este vazio era tão grande, que cogitei e inclusive, cheguei até a planejar, uma forma de deixar o corpo físico e a existência infeliz e vazia que vivia.

Até que um dia, quando já estava certa de que iria dar um fim a minha própria vida, clamei por ajuda, não aguentava mais viver sentindo tanto vazio, não era possível, tinha que ter algo a mais.

Foi então que tive um sonho lindo, sonhei com um lugar mágico, de natureza deslumbrante, neste sonho fui caminhando até chegar a um templo onde, ao entrar, senti meu coração transbordar, uma luz que dissipou toda a escuridão de uma existência sofrida e muito infeliz, neste sonho encontrei uma pessoa que com um largo sorriso me disse: tenha calma está tudo bem! Você vai encontrar!

Acordei maravilhada, com o coração cheio de esperança, me sentia leve, algo que nunca tinha sentindo em toda minha vida até aquele momento. Acordei com este sentimento e com muita vontade de saber onde era esse tal lugar, não parecia em nada com um sonho, foi muito real, pois a energia de amor emanada pelo sorriso amoroso daquele ser ainda estava presente em meu coração.

Passaram-se algumas semanas e eu ainda podia sentir aquele amor transbordar em meu ser, e a vontade de encontrar esse lugar ainda se fazia presente, até que algumas semanas depois fui convidada por um amigo a conhecer um lugar, ele não me explicou muito bem do que se tratava, mas sinceramente estava muito infeliz e triste, nem quis saber muito, apenas fui. Era exatamente para um ritual de Ayahuasca em um instituto irmão do Céu Nossa Senhora da Conceição em Avaré/SP, por volta de setembro de 2008.

Fui sem esperança, pois já estava bem cansada de conhecer lugares que falavam de Deus, pensei…. Mais um lugar, mas não custa ir conhecer.

Ao chegar fui muito bem recebida, tomei o tal chá e sentei, apesar de achar bem diferente, até ai estava tudo normal, até que a força chegou, me vi tal como estava, sem véus, minhas mazelas e vícios, toda a ilusão e vitimíssimo, tive que encarar a mim mesma e aceitar a situação que eu mesma me coloquei, tudo isso com muito amor. Foi a primeira vez que senti o amor de Deus, a maravilha que é ser parte do amor, senti que nunca em momento algum por mais difícil que pudesse ser as situações que enfrentei, eu nunca, jamais estive sozinha, que aquele amor que me foi mostrado em sonho existia. Senti que eu era sim muito amada e, a partir daquele momento, nunca mais pensei em suicídio, deixei pra trás toda a amargura e infelicidade, o vazio que um dia senti já não existia mais, estava leve, com um sorriso de orelha a orelha.

Voltei para minha casa muito diferente, e me lembrei de que a alguns dias antes tinha falado com uma conhecida: “ninguém muda do dia para noite hehehe (risos)”, me enganei, muda sim!!!!

Segui com os rituais de ayahuasca por mais alguns meses até que recebi um convite para conhecer o Céu Nossa Senhora da Conceição e o seu fundador, o Xamã Gideon dos Lakotas, aceitei de pronto pois a gratidão por toda a mudança na minha vida já se fazia visível para pessoas do meu convívio.

Ao chegar no Céu Nossa Senhora da Conceição, ainda na estradinha de terra já era possível sentir conforto e paz, fui muito bem recebida, o acolhimento e amor de todos era algo que nunca havia experimentado em nenhum outro lugar que conheci.

Estava ansiosa para conhecer o Xamã, o Padrinho como era chamado carinhosamente.

Assentada na igrejinha eis que ele chega, e começa uma palestra. Sua presença magnética, as palavras que usava para se expressar, tudo tão simples mas com muita profundidade, seu sorriso era o mesmo do meu sonho, sim era ele e que baita susto levei por perceber que estava no mesmo lugar e com a mesma pessoa do sonho de meses atrás, aquela pessoa que trouxe a esperança para meu coração estava ai bem na minha frente heheheh (risos), Como era possível isso? A emoção tomou conta e a mente já não entendia mais nada, somente o coração se fazia presente ali, quanta gratidão.

Minha vida tomou uma proporção incrível, os ensinamento do Padrinho me conduziram a ter uma vida maravilhosa, fui me conhecendo melhor, aprendendo com ele a usar as capacidades já existentes em mim mas que não sabia nem que existiam. Aprendi a ter foco, determinação, vontade firme, entusiasmo, flexibilidade e o principal colocar o coração a frente de tudo, e com isso fui prosperando, mudei de emprego fui estudar, passei a sorrir e me sentia realizada e feliz, o vazio que um dia senti já não sentia mais.

Este homem simples, amigo, professor, Xamã, meu Padrinho querido transformou minha vida, me fez sentir e ser feliz sem nada pedir em troca, me ver feliz era o que o fazia feliz, não só a mim, mas centenas de milhares que pude ver as vidas transformadas e ainda mesmo que fisicamente não esteja mais presente, ainda vejo muitos serem reerguidos acolhidos renascendo para a verdadeira natureza do ser, seu esforço e amor em ação, sua luta contra as drogas e o comércio com o sagrado toda sua trajetória aqui na Terra deixou um rastro de luz por onde passou.

Onde ele chegava era festa, sua presença fazia do mais carrancudo o homem o mais feliz, não tinha como ser diferente disso, ele transbordava amor, firmeza e brandura.

Lembro-me de certa vez que estávamos eu e mais alguns irmãos sentados na varanda da fazenda, pitando aquele bom cachimbo em uma noite nublada de lua cheia, ele chegou como sempre feliz e sorridente e disse: “estão contemplando a lua?”, e respondi “Não Padrinho, não dá para ver nada, está muito nublado”. Ele, com grande simplicidade nos disse: “Ah é, pera aí”, e em alguns minutos lá estava ela, enorme, aquela lua cheia linda que pudemos ver em um buraco entre as nuvens. Sim, ele fazia essas coisas também, só para nos ver felizes!!!

Não foi só uma vez que pude ver ele fazer tais coisas, vi inúmeras outras vezes, vi fazer com que parasse a chuva para contemplarmos as estrelas durante um ritual ou chover logo após um plantio de jagube, pássaros e borboletas ao redor dele era normal, parecia até que ele e a natureza eram uma coisa só.

Hoje posso dizem, com toda certeza, que minha vida tem sentido, todo aquele vazio que senti um dia não existe mais, sou muito feliz e grata pelo presente que foi conhecer esta Obra e este ser de tanto amor que lutou com todas as suas forças e nunca abriu mão do seu direito de amar, se doou para que muitos, assim como eu, pudessem viver o simples assim, pudessem ser livres sem crenças, dogmas e tabus.

Padrinho querido, meu amigo e professor, quanta honra ter te conhecido, suas Obras ecoam na eternidade do meu coração.

  “ Cada atitude tua posta em prática é uma ação que resulta em reação que jamais se extinguem, o que você faz ecoa na eternidade ”.  

Xama Gideon dos Lakotas   

 Patricia Batista